40 dias de Jejum e Oração 2009 - Por um novo Brasil

Vivemos momentos de grande apreensão e dúvidas quanto ao futuro da nossa nação. Na área política, parece que o povo já perdeu suas esperanças de encontrar lideres de caráter e integridade. Na área moral, a televisão tem varrido os lares brasileiros ensinando conceitos e valores totalmente fora dos padrões de Deus para o ser humano. Na área espiritual, parece que quanto mais o povo busca soluções para seus problemas, mais cai na idolatria, feitiçaria, bruxaria e outras ias que afastam as pessoas de Deus e trazem sobre elas maldição e miséria.

No meio desta situação vem a pergunta: Onde está a igreja do Deus vivo? O que a igreja está fazendo para mudar esta situação? Muitos pastores e líderes de igrejas estão apáticos, acomodados e indiferentes deixando o tempo passar e situação permanecer igual.

Mas Deus está levantando um exército de homens e mulheres que não dobraram seus joelhos a Baal. Ainda permanece um remanescente fiel que está disposto a mudar a situação. Você é parte deste remanescente por isso está unindo-se a este exercito que vai batalhar em jejum e oração durante 40 dias, até que as comportas dos céus sejam abertas e Deus derrame sobre a nação brasileira tamanhas bençãoes que o Brasil venha a ser reconhecido mundialmente como um país do Senhor Jesus.

Este movimento de Deus iniciou-se há 3 anos atrás, unindo-se a outros movimentos que tem despertado e levado a igreja a prostrar-se diante de Deus numa atitude de dependência, fé e confiança de que somente n’Ele há solução. No ano de 2008 tivemos mais de 180.000 pessoas jejuando e orando por 40 dias, representando mais de 650 igrejas.

Sem dúvidas já temos visto resultados não somente a nível de crescimento das igrejas locais, mas também temos visto mudanças no cenário nacional. Poços de petróleos foram encont????ö?rados e a melhoria na economia foi evidente, esquemas de corrupção vieram à tona e outras muitas maravilhas de nosso Deus. Creio que estamos como o jovem que viu a nuvem do tamanho da mão de um homem, que é o sinal de que vira uma grande chuva de avivamento na nossa pátria.

Não fique fora deste movimento de Deus. É tempo de consagração; tempo de santificação; tempo de mudanças no reino espiritual; tempo de jejum e oração.

(Extraído do "Editorial" da Campanha)

Cartaz da Campanha (Clique na imagem para visitar o website)

Estudo da Semana - EDIFICAÇÃO

Para ver estudos anteriores consulte o "Histórico de Estudos", na coluna à direita.

segunda-feira, 6 de abril de 2009

Estudos no livro de provérbios 3/17 - Vícios: Prazeres perigosos

Introdução

Viver é uma experiência que pode se mostrar perigosa, como uma faca de dois gumes. Ela oferece muitos prazeres ao homem, mas também pode lhe proporcionar muitos perigos. Por isso, Provérbios 23:29-35 é como um aviso do pai ao filho contra as muitas seduções do vício, quer se apresente em forma de álcool, nicotina, psicotrópicos ou outro tipo qualquer de droga. Movido pelo sopro de Deus, o experiente sábio nos alerta: “cuidado com os vícios, pois para quem são as dores da vida, senão para os que se demoram no caminho da dependência química?” (Pv 23:29 compreendido de um modo mais abrangente.) Vemos aqui uma série advertência, não só contra o vinho, mas contra a sedução e a beleza de qualquer tipo de substância que cause dependência psicológica e física (Pv 23:31), pois todas elas são danosas.

1 – O ANTES E O DEPOIS (Pv 23:29)

Desejoso de trazer seu discípulo à luz da razão, o mestre coloca diante de seus olhos o quadro de uma vida saudável que contrasta com outra vida dependente de estímulos externos para enfrentar o dia-a-dia. a.Primeiro vêm os prazeres, depois os pesares. “Para quem são os ais, para quem os pesares?” As angústias da alma e as crises da vida levam algumas pessoas a buscar refúgio no cigarro, no álcool ou nas demais drogas. Isto não passa de uma tola fuga, pois rapidamente as alegrias de estar em uma animada roda de pessoas darão lugar à dor e o prazer de matar a sede de uma forte curiosidade ou desejo rapidamente será substituído pela tristeza da alma. b. Primeiro o bate-papo, depois o bate-boca. “Para quem as rixas?” As palavras macias e as longas conversas que procuram convencer as pessoas a fazerem uso de substancias que viciam que logo são substituídas pelas brigas e discórdias. Uma vez dependente, ninguém mais aparecerá para oferecer ou convencer, mas para vender e cobrar. Além disso, um dos primeiros prejuízos do dependente é a perda dos amigos, pois a convivência ficará cada vez mais difícil e, logo, logo, a maioria se afastará, quando não todos. Revolta e frustração provocarão ainda mais rixas Pv 10:12). c. Primeiro os riscos, depois as queixas. O convívio fraterno e amigo em família vai sendo sufocado pelas críticas, reclamações e gritarias, resultado de decepção, desconfiança e esgotamento nas relações de ambas as partes. Onde havia harmonia agora há conflitos de idéias. O vício provoca a degeneração mental e social (Pv 31:4-5). d. Primeiro o vigor, depois as feridas. A dependência química leva à perda do equilíbrio físico e moral. Isto provoca machucados não só no corpo, mas também na alma. O pecado fere profundamente. São três tipos de queda: a física, a moral e a espiritual.

2 – A SEDUÇÃO DO PRAZER (Pv 23:30-31)

Que leva uma pessoa a entrar por essa porta que acaba provocando dependência? Se considerássemos, aqui, o parecer de um especialista, certamente ele apresentaria várias razões, que podem variar de pessoa para pessoa. Mas queremos mencionar três fatores que pressionam todas as pessoas, em qualquer lugar que estejam, com os quais devemos tomar cuidados. a. O desejo de aventura. Naturalmente, o homem já tem uma curiosidade espontânea pelo novo, pelo diferente; uma tendência à aventura; um desejo pela busca do desconhecido. Em regra geral, as pessoas vivem em busca de novidades e isto, que me si não é mau, pode se tornar uma armadilha por isso devemos estar atentos. O cristão deve canalizar o prazer pela aventura na direção correta: prática de esporte saudável, pesquisas, estudos de assuntos relevantes, viagens. Doar suas férias para um trabalho missionário. Ser cristão é viver em novidade de vida. b. O fascínio das propagandas. A mídia exerce uma influência muito grande sobre o modo de vida das pessoas. As propagandas modernas, tão belas quanto perigosas, incutem mensagens implícitas ou até mesmo subliminares no subconsciente. Devemos estar atentos quanto a essas ciladas, pois ninguém nunca verá uma propaganda de bebida alcoólica mostrando pessoas magras, pálidas e com cirrose hepática. c. O estímulo dos amigos. Outra questão muito importante é a necessidade de ter amigos, a vontade de ser aceito pelo grupo e o desejo de aparecer, isto é, ser alguém importante, relevante ou notado no ambiente freqüentado. Se essa tendência humana não for dosada ou controlada pelo bom senso e pela maturidade, pode-se tornar um aporta aberta para toda sorte de vícios de nosso tempo. Siga o exemplo de José, que disse não à imoralidade, mesmo sobre forte pressão (Gn 39:1-20); de Daniel e seus amigos, que disseram não aos prazeres, mesmo pressionados pelos colegas, pelo chefe e pelas circunstâncias (Dn 1).

CONCLUSÃO

A melhor saída para qualquer tipo de fragilidade sempre será Jesus. O vício é a pior escolha. Fuja dos vícios e corra para os braços do amoroso Pai Celestial – só nEle há vida!

APLICAÇÕES PRÁTICAS PARA MINHA VIDA:

1. Faça uma lista de suas fragilidades que levam você a fugir e procurar algum tipo de vício.
2. Lute em oração para vencer suas dificuldades pessoais
3. Creia no poder de Deus que fará você superar todo mal


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário